Na tenda da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab),  e diante de lideranças indígenas presentes no Acampamento Terra Livre (ATL), em Brasília, foi lançada, na manhã desta quarta-feira, 24 de abril, a 2ª Chamada de  Apoio a Pequenos Projetos do Fundo Indígena da Amazônia Brasileira (Podáali) que tem como  tema “Amazônia Resiste: Na defesa e cuidado com as vidas”.

A Chamada tem o objetivo de apoiar diretamente iniciativas de povos, organizações e comunidades  indígenas da Amazônia brasileira em quatro linhas temáticas;   Gestão e proteção territorial e ambiental indígena; Economia sustentável e soberania alimentar; Fortalecimento institucional e promoção de direitos e  Formação Profissional/Educação Indígena.

O Podáali foi fundado em 2020, mas discutido e debatido décadas atrás para chegar ao formato que tem hoje, “Esse Fundo é fruto do movimento indígena”,  destacou a  liderança indígena e conselheira Rosimere Teles, do povo Arapaço, durante o lançamento.

O presidente do Conselho Deliberativo e coordenador geral da Coiab, Toya Manchineri, relatou que o Podáali é o sonho das lideranças indígenas, e destacou a importância do Fundo ser gerenciado de indígena para indígena. 

“Diz que quando a gente sonha bem, o sonho da gente se realiza, e o Podáali é um sonho de nossas lideranças mais antigas. Alguns já se foram e outros estão aqui. Esse fundo foi construído por nós mesmos para levar os recursos até nossas comunidades” lembrou Toya.

O lema do Fundo Indígena é “Por indígenas, para indígenas e com gestão indígena” e foi com essa frase que a diretora executiva do Podáali, Valéria Paye, destacou a relevância do processo ser realizado de acordo com as realidades dos povos indígenas.

“Sempre falamos como é essencial respeitar as formas próprias de nossas organizações, comunidades e aldeias. Essa é a segunda chamada, que continua com o nome Amazônia Indígena Resiste, porque seguimos resistindo, seguimos resilientes, mas na defesa e cuidado com as vidas e todas as vidas. Nós queremos apoiar nossos povos, e  esses recursos têm que chegar lá na ponta”, finalizou Valéria. 

 

A 2ª chamada contemplará projetos de R$ 20 e 50 mil. As inscrições começam no dia 29 de abril e seguem até 25 de junho de 2024. 

 

Comente!

Outras notícias